A Antidemocracia: A Volta da Ditadura

Da Redação

Não podemos ficar calados diante da antidemocracia que reina hoje todos os espaços do SINTE.

Nunca tínhamos assistindo o que assistimos durante o ano de 2011. Todos os espaços de deliberação do sindicato foram substituídos pela antidemocracia.

No primeiro semestre do ano em curso realizamos uma greve de 84 dias, uma greve que começou no dia 02 de maio, é bom aqui retomarmos a memoria da assembleia estadual, realizada na EE Winston Churchil realizada no dia 28 de abril, onde a direção burocrática do SINTE defendeu a não realização da greve, e a categoria cerca de 1.200 trabalhadores em educação deflagraram a greve, derrotando a maioria da direção do sindicato.

Os espaços de deliberação, construídos democraticamente pela categoria pouco a pouco vem sendo retirado da categoria, vem sendo substituído pela burocracia da maioria da direção do sindicato.

O Congresso do SINTE foi uma piada a parte, em 2005 quando o SINTE tinha 24.000 filiados foi realizado o Congresso do SINTE, no auditório do CEFET, desse congresso participaram cerca de 1.300 trabalhadores em educação de todo o estado.

Em 2011, o SINTE amplia a inserção na categoria e atinge a marca de 31.000 filiados. Em junho de uma forma não muito clara impõe-se a realização de um congresso, onde de acordo com os dados do próprio congresso se inscreveram 329 trabalhadores em educação.

O mais estranho da realização desse congresso foi que a própria Coordenação Geral do SINTE que propôs a suspensão a suspensão da realização do congresso no mês de maio, onde a coordenação geral do SINTE convidou todas as forças politicas que compõe a categoria dos trabalhadores em educação e propos o adiamento do mesmo para o mês de novembro de 2011.

Só que todos de repente foram surpreendidos com a imposição da realização do congresso no final do mês de junho. É bom lembrarmos que no mês de junho estávamos em plena efervescência da greve dos trabalhadores em educação e a categoria em assembleia no inicio do mês em uma assembleia com quase 1.000 trabalhadores em educação deliberou quase que unanimente a sua suspensão do congresso.

Mas a Coordenação Geral impôs a sua realização. Alguém sabe me dizer qual o medo que esses diretores têm de realizar um congresso com a participação da categoria.

A assembleia da rede estadual de ensino de 20 de julho foi outra lição dada pela maioria da direção do SINTE de ausência de democracia. Foi uma assembleia que não durou 40 minutos. E já começou com a coordenação geral do SINTE anunciando o final da greve, sem deixar a categoria se posicionar, aliás, foi uma assembleia onde o microfone foi totalmente monitorado.

Os problemas na ausência de democracia no sindicato vêm a cada dia se acirrando, se não vejamos:

Dia 30 de setembro é realizada uma assembleia dos trabalhadores em educação da rede estadual de ensino, na EE Winston Churchil, essa assembleia começou com 40 minutos de atraso, quando íamos para a última parte da assembleia que é os “encaminhamentos” todos são surpreendidos com o anuncio de que a assembleia terminou. Esse comunicado por parte da coordenação geral do SINTE pegou a todos de surpresa, até por que existiam encaminhamentos feitos por vários companheiros da direção e da base da categoria. Esses encaminhamentos eram: Realização de uma nova assembleia dos trabalhadores em educação no dia 10 de outubro, ás 14 horas na EE Winston Churchil; Construção de uma caravana para Brasília para participar da Marcha Nacional do dia 26 de outubro, que os trabalhadores em educação que apresentem interesse em participar dessa caravana deveria se dirigir ao SINTE, e colocar o seu nome com o seu RG.; Que se construa um ato em frente à promotoria da educação; Entre outros encaminhamentos. Após o comunicado de que assembleia estava encerrada sem a votação dos encaminhamentos pegou a todos de surpresa. Mesmo assim um grupo de trabalhadores em educação se dirigiu a coordenação da assembleia e a mesma confirmou que a assembleia dos trabalhadores em educação do dia 10 de outubro seria realizada.

Nesse intervalo se inicia a greve dos servidores do estado do RN. Essa greve começou no dia 04 de outubro e em assembleia também reafirmam a importância da realização da assembleia do dia 10 de outubro.

Para surpresa de toda a maioria da direção do SINTE, não faz os encaminhamentos para a realização da assembleia do dia 10 de outubro. Ao contrario em voz alta em uma assembleia dos funcionários de escola, comunicam em alto e bom tom de “Que o curso das aguas do rio mudou, e que não tem essa de assembleia não!” e que não existe motivos para a realização da assembleia.

Não existem motivos. Nós sabemos que existem motivos sim, agora à opção da maioria da direção do SINTE é por outra coisa, o compromisso desses dirigentes são outros. Não existem motivos para a realização de uma assembleia, vamos citar só alguns deles: Os trabalhadores em educação estão sendo assediados cotidianamente pelo ministério público, ou não estão? Não é só no que se refere à merenda escolar não, quando falamos em ministério público queremos discutir a intervenção do MP dentro das nossas escolas, ou você trabalhador em educação não quer discutir isso. O pagamento tão alardeado pelo governo do estado dos 34% do magistério, de setembro a dezembro, que trouxe uma redução de salario para os professores PN III, letra A, nos meses de setembro e outubro, não é motivo para nos reunir. Vamos a outro fato o pagamento dos 34% para os professores do quadro suplementar que só virá no mês de novembro, isso não significa nada; 0 desconto no contracheque de alguns professores dos três últimos dias de greve, não significa nada?. Não existem motivos para uma assembleia dos trabalhadores em educação e as promoções verticais que desde o ano de 2008 esperam publicação e pagamento. E o pagamento dos títulos publicados e não pagos, das pecuniárias publicadas e não pagas e o abono de permanência publicado e não pago.

Na assembleia de greve dos funcionários da educação do dia 13 de outubro, assembleia essa realizada na EE Winston Churchil, deliberou entre outras coisas pelo seguinte: Construção de uma caravana para Brasília para participar da Marcha Nacional do dia 26 de outubro, que as pessoas que tenham interesse em participar dessa caravana deveria se dirigir ao SINTE, e colocar o seu nome com o seu RG. Que o SINTE providenciasse faixas e cartazes para comunicar a greve dos funcionários de escola. Que o SINTE providenciasse a veiculação de um VT para televisão e de SPOT para rádio falando da greve dos funcionários da educação.

A greve dos funcionários de escola encerrou-se em 17 de outubro, em uma assembleia onde a categoria fez vária criticas a direção do SINTE. Nada do que tinha sido deliberado na assembleia anterior tinha sido encaminhado pela maioria da direção do SINTE. De acordo com o próprio site do SINTE, a veiculação do VT só foi ao ar dois dias depois da greve dos funcionários terem sido encerradas. Não me chegou nenhuma escola da rede estadual de Natal ou do interior do estado nenhum cartaz ou faixa comunicando a greve dos funcionários da educação. Veja o que o site do SINTE informou em 19 de outubro: Sinte veicula denuncia contra o Governo do Estado: InterTV Cabugi RNTV 1ª Edição, quarta-feira (19), Globo Esporte, quarta-feira (19), Mais Você, quinta-feira (20), Bem Estar, quinta-feira (20). TV Ponta Negra: 60 Minutos, quarta-feira (19), Cristal, quarta-feira (19), Jornal do Dia 2ª Edição, quinta-feira (20), Patrulha da Cidade, quarta e quinta-feira (19 e 20), Jornal do Dia, sexta-feira (21), Arena, sexta-feira (21), Programa do Ratinho, sexta-feira (21), Programa Mais, sábado (22) e SBT Brasil, sábado (22).
É as duras criticas dos funcionários de escola na assembleia do dia 13 de outubro forçou a direção do SINTE a encaminha mesmo sem querer encaminhar o VT e o SPOT de rádio, mesmo após o encerramento da greve dos funcionários de escola.

A Caravana para a Marcha do dia 26 de outubro em Brasília marcha essa convocada pela CNTE, não foi encaminhada pelo SINTE. O que assistimos foi à construção de um ônibus. É a maioria da direção não encaminhou os três assembleias deliberaram mais encaminhou o que a coordenação geral impôs. Que foi a construção da ida de um ônibus de 50 lugares, só que as pessoas não tiveram direito a livre opção de participar dessa caravana do SINTE. Os trabalhadores em educação só tiveram acesso a essa caravana passando pela indicação de alguns diretores. Talvez a opção pela construção de uma caravana nesse formato interesse a alguns dirigentes.

Por ultimo queremos alertar a categoria sobre a assembleia de “Prestação de Contas” do sindicato. Diga-se de passagem, que conforme o estatuto do SINTE, a assembleia de prestação de contas deve acontecer no primeiro semestre de cada ano. Ou seja, como essa direção tomou posse em junho de 2009, a prestação de contas de 2009, deveria ter acontecido no primeiro semestre de 2010 e assim sucessivamente o que não aconteceu.

O que mais vem nos espantando é que muitos diretores do SINTE vem defendendo que a assembleia de “Prestação de Contas”, dos anos de 2009, 2010 e 2011 seja realizada em janeiro de 2012. O SINTE nunca realizou uma assembleia no mês de janeiro. Qual o motivo de não realizar essa assembleia de prestação de contas em outro mês? Por que a maioria da direção do SINTE não cumpre o estatuto do sindicato com relação à prestação de contas.

Nós não iremos nos calar, Estamos vigilantes!

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca