A desgovernança do governador Robinson Faria

O Governador Robinson Faria deve estar zonzo com a dureza do Desembargador Cláudio Santos, Presidente do Tribunal de Justiça. As palavras do presidente em entrevista ao Jornal Tribuna do Norte deixaram claro que o tribunal se organizou, fez o dever de casa, e não pode pagar pelos desacertos e desorganização do poder executivo.

Analisando pela governança o Desembargador tem plena razão em defender os interesses do seu órgão. É imprescindível questionar o ilustre governador quais foram as medidas tomadas para reequilibrar as contas públicas? Até o momento o que se têm notícias foi o aumento de impostos e a utilização do fundo previdenciário. 

Em contrapartida algumas categorias tiveram reajustes salariais, o pacto deveria ter sido esse, conclamado os servidores e negociado de forma geral, e não reajustes de forma categorizada. A situação atual é: alguns com aumento e todos sem dinheiro!

O Governo até o momento não apresentou um plano para sair da crise, não definiu projetos prioritários diante das tantas frustrações anunciadas, esperam o milagre da repatriação e ajuda do Governo Federal.

A determinação desse governo parece que já acabou junto com o otimismo de Robinson.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca