A íntegra do discurso de Dilma no 1º de Maio

Já se iniciou a transmissão do ato de 1º de maio mais importante do país: o do Vale do Anhangabaú.

A presença de Lula e Dilma – prevista para o início da tarde – terá,necessariamente, de balizar a estratégia de enfrentamento da fase final do golpe, a esta altura inevitável, salvo por algum inesperadíssimo fato novo, mas sobretudo sobre como produzir as linhas de resistência aos avanços que se farão contra os direitos econômicos e sociais do povo brasileiro.

Precisamos de extrema lucidez e clareza. O combate ao golpe se dará muito mais pela via da mobilização social que pela institucional, porque as instituições brasileiras estão em frangalhos.

Desculpem os sofisticados, mas na questão política é possível algum muro diplomático: na social, não.

Soou estranho que alguns líderes da esquerda tenha aceitado mostras as canjicas ao embaixador do golpe na classe operária, Paulinho da Força. Paulinho não pode ser tratado como um líder sindical: vestiu desavergonhadamente o uniforme das tropas golpistas e deve ser recebido nesta condição.

Se ele, como pretende, tornar-se ministro – do que duvido -, aí sim: um líder de movimento social não tem o direito de recusar-se ao diálogo contra um dirigente público, ainda que de legitimidade precaríssima. Por enquanto, não: Paulinho é neste momento apenas um sicário da quadrilha que assalta o poder.

Para assista a ntegra do discurso de Dilma no 1º de Maio

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca