CAMA DE GATO


Sírlia Sousa de Lima

Tudo que acontece comigo
Eu registro isso é fato
Tenho boa memória
E também bom olfato
E quando enxergo sujeira
Tenho olho de gato

Eu estava cheia de sonhos
Quando entrei nesse CMEI
Pelo mundo infantil
Eu logo me apaixonei
Desenvolvi muitos projetos
Desde o dia que entrei

Porém quando cheguei
Havia uma situação
Anterior a minha chegada
Tive essa percepção
Que os educadores discordavam
De quem fazia a gestão

Como fui bem recebida
Deixei passar a impressão
Deve ser coisa passageira
Ou então minha ilusão
As colegas questionavam
Eu achava implicação

Só que o tempo foi passando
E eu fui observando
Que algo não ia bem
Mas sempre me calando
Gerou-se um mal estar
E estava incomodando

Queria trabalhar num lugar
Que boa energia pudesse fluir
Mas o astral é pesado
E a todos vai destruir
E eu fui contaminada
Mas quero me redimir

Trabalhar em CMEI
Não é para qualquer um
Nós fazemos um esforço
Fora do comum
E depois ver que mérito
Não recebeu nenhum

Tiveram projetos lindos
Que fluiu uma beleza
Nós os elaboramos
Com toda delicadeza
Os projetos criativos
Reciclando a natureza

Eu sei que ninguém é perfeito
Incluo-me nesse meio
Eu quero mudar isto
Está ficando muito feio
Fizeram muitas chacotas
Difamando o nome alheio

Pessoas despreparadas
Que Deus perdoe e releve
Incitando os pais
Contra o nosso direito de greve
Lei 7.733 nos garante
Grave logo seja breve

Se com algum dos professores
Tem problema pessoal
Resolva as diferenças
Mas não passe do normal
A injúria é uma maldade
É algo visceral

Eu por muitas vezes
Defendi a posição
Acreditava estar certa
Mas errei a direção
Que bom acordar a tempo
De enxergar essa questão

Tem uma coisa que não entendo
E queria partilhar
Porque gente de fora
Tem que opinar?
Se tens dificuldades
Poderemos ajudar

Sei que também passou
Por má situação
Esse é o troco da guerra
A qual fez declaração
Quando se espalha pólvora
O fogo faz explosão

Aqui não se separa
Pessoal e profissional
É um jogo de intrigas
Leviano bem banal
Rendendo muitas fofocas
Muito mais que o trivial

As chefes foram chamadas
E eu achei que era armação
Eu fiz até um cordel
Contando a situação
Hoje me arrependo
Eu abri minha visão

Por isso com as chefes
Também quero me desculpar
Eu estava equivocada
Como pude me enganar
Agora estou atenta
E a tudo vou enxergar

Conclamo as autoridades
E até faço uma proposta
Vamos lavar a sujeira
Assim todo mundo gosta
Dando aos professores
O direito de resposta

Terminando esse cordel
Eu faço amarração
Colegas me perdoem
Do fundo do coração
Vocês se indignaram
E eu não lhes dei atenção

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca