Diferença salarial entre mais humildes e os que ganham mais só fez subir no atual governo

POR SINSP/RN, 15/04/2021

Em 2019, o Governo do RN fez a opção de reajustar os salários dos procuradores do Estado e de realizar o aumento do abate teto para os auditores fiscais e delegados de polícia, mas excluiu da correção os servidores que ganham na faixa do salário mínimo e que já não recebem reajuste há onze anos.  Com a postura, ele se mostrou favorável aos servidores com maiores salários, ultrapassando os 30 mil, que tiveram reajuste de 16,38% e barrou a possibilidade de estender esse mesmo reajuste aos funcionários mais simples, como merendeiras, ASG e GNO.

Já não basta ficar mais de uma década vendo seu salário encolhendo, mas num governo “popular” ter a certeza que seu salário é mais de 30x menor que outros servidores do mesmo Estado. Desde que o atual governo tomou posse, medidas para ampliar a diferença salarial entre o menor e maior salário foram tomadas, contrariando o discurso de que essa seria uma gestão popular. O governo definiu um modelo preconceituoso e discriminatório contra os trabalhadores mais humildes.

O SINSP lutou e lutará para que essa gigantesca diferença salarial seja corrigida! Todos somos iguais e merecemos sermos tratados com respeito! Aumento salarial para os que estão 11 anos a espera de reajuste já!

Saiba mais:

Governo Fátima só dá ‘não’ aos trabalhadores

“Um dos piores momentos na luta sindical é perder quando temos no poder um governo que lutamos e ajudamos a eleger”, diz presidenta do SINSP

Jornalista lembra que governo concedeu aumento e beneficiou altos salários antes da reforma da previdência

Deputados votam contra reajuste de 16,38% para servidores públicos do estado; veja quem são os inimigos dos servidores

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca