Enquanto secretária se “guarda” para vacina, servidores se arriscam todos os dias

POR SINSP/RN, 09/03/2021

Enquanto a secretária Virgínia Ferreira esbanja privilégio ao afirmar no seu twitter que está se “guardando para quando a vacina chegar”, o servidor que trabalha nas escolas do Estado é obrigado a se arriscar diariamente a pegar a covid-19 e a transmitir em suas casas ou no transporte diário até o local de trabalho.

Por que só a secretária tem direito de se “guardar” e os servidores devem se arriscar?

Enquanto a taxa de ocupação dos leitos hospitalares está acima dos 96% e não há nenhuma vaga para internamento em todo o Estado, os servidores das escolas ainda são obrigados a saírem de suas casas, mesmo podendo realizar seus trabalhos remotamente. Colocar servidores nas escolas sem ter atividades a serem executadas é assédio moral!

Saiba mais:

Trabalho presencial está suspenso

Trabalho remoto: após pressão, governo atende solicitação do SINSP

Governo atende solicitação do SINSP e prepara Portaria implatando regime de trabalho remoto para servidores

Teletrabalho: SINSP solicita medida urgente da governadora

Para secretaria de Educação recebimento de documentos é trabalho essencial durante pandemia

Com 94% dos leitos ocupados, secretaria de Educação descumpre governo e recomenda trabalho presencial nas escolas do Estado

Antes de convocar servidores, escolas devem cumprir 10 exigências da secretaria de Educação

Secretário de Educação afirma que não vai cumprir a Portaria e vai recomendar atendimento presencial em escolas

Secretaria define elaboração de Plano de Trabalho e aprovação no Conselho Escolar como exigências para trabalho presencial

Trabalho presencial: servidor que não pode ir às escolas só precisa informar gestor por escrito

Escola Aldo Fernandes: duas servidoras são contaminadas enquanto trabalhavam

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca