Escola União do Povo manda funcionários trabalharem de casa e dá exemplo de como respeitar a vida dos servidores

POR SINSP/RN, 22/03/2021

Na Escola Estadual União do Povo não há nenhum servidor cumprindo seu trabalho presencialmente, nem mesmo a diretora vai ao local enquanto vigorar o Decreto governamental de lockdown.

Sarah Kitzinger é diretora da Escola, e também está na direção do SINSP, ela decidiu que os funcionários da secretaria não deveriam se arriscar indo até a Escola, no bairro de Cidade Nova, em Natal, e antes mesmo do Decreto de 17 de março, já havia determinado o teletrabalho para todos funcionários.

“Já faz pelo menos 15 dias que nenhum servidor trabalha da escola. Coloquei todos em trabalho remoto e apenas eu ia lá trabalhar presencialmente”, informou a diretora Sarah.

No local, o trabalho remoto está acontecendo diariamente, com atendimento através de contatos disponibilizados à comunidade. Assim, nenhuma demanda está deixando de ser prestada pela Escola União do Povo.

“A gente está passando por um momento tão difícil… Temos que nos cuidar de verdade. Não dá pra brincar com a saúde dos servidores. Enquanto a pandemia estiver nesse nível o trabalho vai continuar dessa forma”.

Após o Decreto da semana passada, a própria diretora Sarah decidiu que nem ela mais iria até a Escola. Hoje ela trabalha de casa e vai ficar assim até o fim do Decreto.

Sarah Kitzinger é um exemplo de gestora que respeita a vida dos próximos e mantém suas obrigações com eficácia.

“Tem uma coisa que sempre digo as meninas da secretaria: Eu cuido de vocês e vocês cuidam de mim”.

Saiba mais:

Escola Monsenhor Raimundo Gurgel respeita Decreto e diretor afirma “nunca vou colocar a vida dos servidores em risco”

Centro Educacional Felinto Elísio desrespeita Decreto e obriga servidores ao atendimento presencial

Gestão da Escola Professor Antônio Fagundes estão pressionando servidores a não trabalhar remotamente

Escola Eliseu Viana, da 12ª Direc, segue atendendo público externo e coloca em risco a população de Mossoró

Gestores da Escola Eliseu Viana esclarecem que servidores estão trabalhando remotamente

Direção da Escola Severino Bezerra convoca alunos e coloca cidade de Tangará em risco

Escola Aldo Fernandes: duas servidoras são contaminadas enquanto trabalhavam

Mesmo após Portaria, direção da Escola Roberto Rodrigues Krause mantém trabalho presencial de servidores

Diretora da Escola Rômulo Wanderley obriga servidores a trabalharem presencialmente

Professora chama de “insanidade” o fechamento das escolas e diz que funcionários deveriam ir ao trabalho para lavar banheiros durante a pandemia

Diretora da Escola Calpúrnia Caldas volta atrás e vai obrigar servidores a trabalhar presencialmente

Diretora de Escola em Umarizal obriga funcionários a trabalhar durante pandemia

Após contato com o SINSP, diretora de escola de Caicó recua e se compromete a respeitar Portaria

SINSP visita Escola Aldo Fernandes, comprova que gestores não respeitam decreto do Estado e põe saúde de servidor em risco
 Decreto em_ 18_03_2021.pdf

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca