Gastos da AL com pessoal sobem 17% no primeiro semestre

Rubrico matéria do Nominuto.com

De janeiro a junho desse ano, o Legislativo classificou R$ 82,3 mi em despesas com pessoal e encargos sociais, contra R$ 70,4 milhões do ano passado.
Por Dinarte AssunçãoTamanho do texto: A Imprimir

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte é o único órgão integrante da esfera estadual administrativa que ainda não divulgou os salários de seus servidores.

Segundo a Casa, há “natureza especial” para alguns casos, o que motivou a demora. Apesar disso, a presidência do Legislativo promete para essa semana publicar os valores, e tem trabalhado discretamente para isso.

Um levantamento feito pela reportagem do Nominuto.com, baseado nos dados do Portal da Transparência, indica que nos seis primeiros meses desse ano os gastos com o pessoal da Assembleia Legislativa do Estado cresceram em quase R$ 20 milhões.

De janeiro a junho desse ano, o Legislativo classificou R$ 82.366.916,07 em despesas com pessoal e encargos sociais. No mesmo período do ano passado foram pouco mais que R$ 70,4 milhões, um acréscimo de 16,9%.

Num comparativo com outros poderes, percebe-se crescimento acima da média. O Tribunal de Justiça, por exemplo, saiu de uma folha de R$ 139 milhões no primeiro semestre de 2011 para R$ 143 mi em 2012, uma variação de 2,8%.

Em abril do ano passado, a Casa conseguiu ampliar o número de cargos por gabinetes. Para atividade política, cada deputuado tem direito a um agente administrativo parlamentar (vencimento de R$ 1,7 mil brutos), assessor chefe de gabinete (R$ 6,6 mil), técnico de gabinete (R$ 4,3 mil), assessor especial parlamentar (R$ 4,3 mil) dois assistentes políticos (R$ 3,3 mil cada), assistente técnico de comunicação (R$ 3,3 mil), secretário parlamentar (3,5 mil), motorista de gabinete (R$ 1,7 mil) e ténico de processamento de dados (R$ 2,1 mil).

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca