Geniosinhos da Matemática

Republico matéria do site Confersa Afiada, 02/07

Geniosinhos da Matemática
Esse Nunca Dantes…

“Por trás de um bom aluno de Matemática há sempre um bom professor de Matemática”.

Maria Clara da Silva, 16 anos, de Pirajuba, Minas, foi a primeira estudante de uma escola pública a participar da olimpíada mundial de Matemática, ano passado, em Amsterdam, na Holanda. Até então, só estudantes de escolas particulares representavam o Brasil. Maria Clara conseguiu medalha de bronze e este ano disputa a de ouro em Mar del Plata, na Argentina.

Tábata Amaral é filha de um trocador de ônibus, em São Paulo. Ela tem 18 anos e cursa Física na USP. Ela quer ser Astrofísica. Recebeu uma bolsa do grupo Etapa e acaba de receber uma bolsa para estudar em Harvard. Se quisesse, ia também para Princeton, Columbia ou Yale – que também lhe ofereceram bolsas de estudos. Tábata é medalha de prata da Olimpíada Brasileira das Escolas Públicas – OBMEP.

Indiana Jhones, de 19 anos, vive em Poxim, Alagoas. Os pais, desempregados, são beneficiários do Bolsa Família. Ele é medalha de ouro da OBMEP 2012, e medalha de bronze, em 2009 e 2010. Indiana não tem, como Tábata e Maria Clara, apoio oficial ou privado para continuar a se dedicar à Matemática.

Esse é um dos problemas da OBMEP. Por isso, a Olimpíada premia um número cada vez maior de estudantes capacitados, para estimular escolas pelo Brasil afora e mobilizar recursos – públicos e privados – e talentos para apoiar o ensino da Matemática e os jovens que se destacam na OBMEP.

O programa Entrevista Record Atualidade, que foi ao ar nesta segunda-feira, 2, às 22h15, na RecordNews, logo após o programa do Heródoto Barbeiro apresentou, além de Marco Aurélio Garcia, que tratou do Paraguai, o professor Claudio Landim, pós-graduado em Matemática, pesquisador do IMPA, Instituto de Matemática Pura e Aplicada – http://www.impa.br/opencms/pt/ – e coordenador nacional da OBMEP.

A primeira fase nacional da prova foi em 5 de junho, em todo o pais. Participaram 19 milhões 141 mil estudantes de escolas públicas entre o sexto ano do ensino fundamental e o ensino médio. Alunos de 46.728 escolas. É a maior Olimpíada de Matemática do Mundo !

Nem a China tem uma igual. 5% dos melhores alunos de cada escola vão para a segunda fase, em 15 de setembro. Dessa segunda fase saem os premiados e os três estudantes que vão representar o Brasil na olimpíada mundial. Deverão ser premiados 4.500 alunos – os disseminadores de bom exemplo – com medalhas de ouro, prata e bronze.

Será oferecida a oportunidade de participar do Programa de Iniciação Cientifica Junior, que dá direito a uma bolsa do CNPQ. Minas Gerais é o estado com melhor resultado. Porque tem melhores professores de Matemática, diz Landim: “por trás de um bom aluno de Matemática há sempre um bom professor de Matemática”.

Landim diz que já dá para perceber – desde a primeira olimpíada, em 2005 – que a escola que tem aluno premiado tem melhores notas no ano seguinte. O prêmio frutifica. Também já dá para perceber que, à medida em que as notas melhoram, os alunos passam a escrever mais, a se expressar além dos números.

Qual é a meta da OBMEP ? Melhorar a qualidade do ensino de Matemática. Por isso é importante premiar alunos, porque aluno premiado é professor premiado.
De onde saiu essa boa ideia ? Landim conta uma dessas histórias que você jamais lerá no PiG (*), amigo navegante. Um dia, o primeiro Ministro da Ciência e Tecnologia do Governo Lula, Roberto Amaral, do PSB, chegou para uma visita ao IMPA e perguntou o que eles faziam para melhorar o ensino de Matemática no Brasil.

O diretor da Escola explicou que havia dois programas não muito ambiciosos, mas que treinavam professores. Um dia, aparece no IMPA um cheque de R$ 200 mil do Amaral, para aplicar nos dois programas.

O diretor do IMPA queria devolver o dinheiro: não precisamos de tanto dinheiro ! Pensou melhor e resolveu se inspirar num programa que havia na Secretaria da Educação do Ceará, uma Olimpíada de Matemática, e, com o dinheiro, fazer no país inteiro. Aí, o ministro tinha trocado, já era Eduardo Campos, também do PSB e, hoje, governador de Pernambuco. Campos adorou a ideia e consultou o Nunca Dantes.O Nunca Dantes vibrou ! E deu nisso ! A maior olimpíada de Matemática do Mundo. Esse Nunca Dantes.

Que não tem diploma … Mas, o Padim Pade Cerra também não … (E quando o Chico Pinheiro perguntou a ele por que a Educação em São Paulo era tão ruim, ele pôs a culpa nos “migrantes”- como o Lula …)

Paulo Henrique Amorim

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca