Governo acha que dar aumento de R$ 1.391,00 vai quebrar o Estado

POR SINSP/RN, 30/11/2021

O governo do RN segue com atitudes discriminatórias entre os mais baixos salários e a elite salarial. Para eles, dá um reajuste de 15% para apenas oito mil pessoas mais humildes, passando o salário para R$ 1.391,00 vai quebrar as finanças do estado. Isso num Estado que apura mais de 1 bilhão por mês e que deu sucessivos reajustes para os maiores salários recentemente.

O governo Fátima Bezerra reajustou em 12,3% a UPV dos auditores fiscais e em 16% o salário dos procuradores, delegados e também auditores, que já ganhavam acima dos R$ 35 mil. Aumentar para mais de R$ 40 mil o salário de alguns não quebra o estado, mas dos mais pobres sim. Essa é a lógica do governo.

O secretário de Planejamento, Aldemir Freire, acha uma irresponsabilidade reajustar 15% para os mais humildes. E essa discriminação não é exclusiva de Aldemir Freire. O controlador-geral do Estado, Pedro Lopes, utilizou do mesmo preconceito para lutar contra o reajuste digno para os servidores mais humildes. Ele disse, durante mesa de negociação, que o ato de distribuir recursos com reajuste salarial foi causador de “quebra do estado”, mas a verdade é que nem aqui ou qualquer outro estado essa política foi causadora de quebra financeira do dinheiro.

Por que aumentar o salário dos menores salários, com valores e impactos tão baixos poderia quebrar o estado e reajustar com alta porcentagem o salário dos mais ricos não faria isso? Essa é uma ideia discriminatória, que visa apenas em distanciar ainda mais a elite salarial dos mais pobres.

A verdade é exatamente inversa, pois reajustar salários faz com que mais dinheiro trafegue em toda a comunidade, gerando bem-estar social e riqueza a toda a sociedade.

Pelo fim da discriminação do governo e por um reajusta digno para os servidores públicos!

Saiba mais:

Servidores se unem e criticam 4,5%: “Esse governo não tem nem um pouco de sentimento com a classe que ganha menos”

Fátima Bezerra exalta diálogo amplo com categorias, mas governo diz ao SINSP que reunião era apenas para “informar e não dialogar”

Governadora Fátima Bezerra promete 15%, mas quer que menores salários tenham só 4,5% de reajuste

Negociação: SINSP quer incorporação de GME e GRG no salário dos servidores

Governo não apresenta dados solicitados pelo SINSP

Governo deve incorporar gratificações para todos e não apenas uma ou outra secretaria

Governo quer quase dobrar salário de alguns, mas empurra apenas 4,5% para os mais pobres

SINSP não aceita reajuste de apenas 4,5% para os menores salários

Negociação: governo apresenta proposta que rasga Plano de Carreira dos servidores e promete melhorar tabela até próxima terça-feira

Com 1,9 bilhão extra, governo tem condição de aumentar salários com percentual digno aos servidores

Reajuste: SINSP vai se reunir para negociar com secretária de Administração e Controlador Geral do Estado nesta sexta-feira

Reajuste: SINSP Não concorda com percentual de 15% proposto pelo governo e solicita à SEAD prosseguimento da negociação

Secretário de Educação confirma ao SINSP que ouviu de governadora Fátima Bezerra que anúncio do reajuste será dia 28

Governo promete ao SINSP que anunciará reajuste de servidores no dia 28 de outubro

Leia o informativo do SINSP da Campanha Salarial 2021

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca