Medusas assumem a Samba e anunciam Overdoze: 12 horas de samba no Beco

POR Saiba mais, 18/06/2018

Pela primeira vez na história, uma chapa formada só por mulheres assumiu a direção da Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjacências (Samba), reduto boêmio da Cidade Alta.

Batizada de “Medusas”, a nova diretoria encerra uma sequência de seis gestões consecutivas lideradas por homens. Serão 11 mulheres contra o histórico de descaso do poder público com a região.

A posse simbólica ocorreu sábado (17), no bar da Nazaré, com discotecagem do Dj Implacável do Vinil. Após a Copa do Mundo, em 4 agosto, as Medusas tomam a posse oficial e dão sequência ao trabalho.

A primeira atividade já foi anunciada: a festa Overdoze, com programação do meio-dia à meia-noite percorrendo vários bares do Beco da Lama e Adjacências.

A comandante em chefe das forças da Samba é a professora, atriz e produtora cultural Maria Gorette. Ela sucede o assessor sindical Tárcio Fontenele.

Sobre a primeira festa sob nova direção, Gorete dá dicas de como será o ritmo das Medusas:

– Será uma Overdoze, com 12 horas de atividades no Beco, do meio-dia à meia-noite. E com samba porque, na minha opinião, é o samba quem dá vida ao Beco da Lama nesse sentido, além dos bequianos, né? Mas a atração maior é o samba. Já temos uma roda de samba convidada, com o Roda de Bambas. Também faremos um documentário nesse dia, ouvindo a opinião das pessoas sobre a Samba, tudo com a maior alegria.

Gorette é uma ativista da cultura conhecida e reconhecida na Cidade Alta. Se como produtora já tinha ligação direta com as rodas de samba, o ritmo, agora é quem dará ritmo à Samba, a entidade.

Inspirada na Sociedade dos Amigos do Largo da Carioca (Sarca), entidade carioca criada nos anos 1980 por moradores do Largo da Carioca contra o projeto do metrô que colocaria em risco o patrimônio histórico da região, a co-irmã no Rio Grande do Norte foi fundada em 1994 por um grupo de boêmios do Centro com o intuito de promover eventos e contribuir com a preservação do patrimônio histórico do Centro de Natal.

Maria Gorette adianta que a gestão que começa agora vai conjugar o verbo agregar:

– É uma chapa agregadora. Somos um grupo de mulheres que quer que as pessoas venham para agregar valor. Essa é uma diretoria oficial formada por 11 pessoas, mas temos o triplo de pessoas comprometidas em colaborar. Queremos somar para que não fique sobrecarregado para ninguém.

Legalize já

A prioridade da gestão das Medusas passa pela principal polêmica da história recente da Samba: a legalização da entidade. Sem as certidões negativas, a Samba não tem como participar de editais públicos, por exemplo.

– A primeira coisa é legalizar a Samba. Vamos pagar as taxas que faltam e fazer parcerias com entidades que possam nos ajudar. Vamos pedir uma audiência com o prefeito de Natal Álvaro Dias, para conversar e resolver algumas coisas ligadas à questão da limpeza. Temos várias ideias, que também passam pela colaboração (financeira) das pessoas. Nenhuma entidade funciona sem a colaboração financeira dos associados. Não dá para fazer festa e ter que rodar o chapéu. Mas tudo sem peso, sem desespero para não pesar para ninguém.

Medusa é fruto da mitologia grega e significa protetora ou guardiã. Monstro do sexo feminino, reza a lenda que ela costumava petrificar os homens que a olhassem nos olhos. Medusa foi decapitada pelo herói Perseu e sua cabeça usada para afugentar o mal.

O Beco da Lama agora tem 11 medusas para afugentar o mal e petrificar cerveja quente e homem metido a besta.

Que comecem os trabalhos.

Quem são as medusas:
Diretoria executiva

Diretora-executiva: Maria Gorette

Diretora-adjunta: Valéria Torrezani

Diretora cultural: Hortência Carvalho

Tesoureira: Patrícia Farias

Secretária: Solange Costa de Almeida

Conselho fiscal

Maria Amélia de Lima Freire (titular)

Elizabeth Lima da Silva (titular)

Maria Aparecida Tavares (titular)

Elvira Maria Neta (suplente)

Giovana Paiva de Oliveira (suplente)

Jeane de Araújo Silva (suplente)

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca