Metade do país já virou classe média

” QUASE JÁ SE PODE AFIRMAR” QUE O BRASIL É HOJE UM OUTRO PAÍS
republico matéria do Blog do Zé, 13/05/2010

“Quase já se pode afirmar” que o Brasil é hoje um país de classe média, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, na palestra a que comparecemos juntos em evento da CUT nacional, em Brasília (veja post). Houve aumento real do salário mínimo e redução substancial das desigualdades, com a ampliação da renda e o crescimento da classe C (ou média), reduzindo-se o contingente da população nas classes D e E.

Pelos números de que o ministro dispõe e expôs na palestra, a classe C já representa mais de 50% da população brasileira. “Quando nós começamos o governo, o mínimo mal comprava uma cesta básica. Hoje, compra quase duas. Duplicou o poder de compra do mínimo, fundamental para diminuir a pobreza e ampliar o mercado consumidor”, disse o ministro.

Mantega afirmou que a nossa economia já voltou aos níveis pré-crise e dados que lhe tem sido repassados indicam que o país criará esse ano, de novo, mais 2 milhões de empregos. Lembrou que diante da crise no ano passado, os outros países tiveram o consumo retraído, enquanto o Brasil viveu um período de forte atuação dos consumidores.

E isso só foi possível porque criamos no país segmentos com capacidade de compra, salário e renda maiores. O consumo, previu Mantega, crescerá à média de 8% e 8,5% este ano, importante porque é com base nele que os empresários fazem os investimentos. E aumentam o emprego, a renda e o próprio mercado consumidor criando-se um ciclo virtuoso para a economia.

Foto: Marcello Casal Jr/ABr

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca