No dia de São Jorge, conheça a história do Santo Guerreiro

POR globo.com

Ele está na música de Zeca Pagodinho, nos altares das igrejas e nas paredes dos botequins. Nas camisas dos jovens e nas orações dos velhos devotos. No Dia de São Jorge, o Rio acorda em festa para celebrar aquele que é considerado padroeiro extraoficial da cidade. E apesar de ser feriado, para milhares de fiéis é dia de levantar às 5h da manhã. Não com o tilintar do despertador, mas com a sinfonia da Alvorada.

— Desde que me entendo por gente participo da missa da Alvorada. A cada ano aparece mais gente, mas não tem problema. São Jorge é para todos — diz a aposentada Maria Cecília Cantareira, de 73 anos, frequentadora da Igreja de São Jorge, em Quintino, cuja festa reuniu, no ano passado, mais de 500 mil fiéis.

Oração do Santo Guerreiro 

Curiosidade

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/no-dia-de-sao-jorge-conheca-historia-do-santo-guerreiro-21243331.html#ixzz4f6bMBxdW

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca