Pesquisador de universidade dos EUA, brasileiro alerta sobre risco de infecção “maior foco na transmissão pelo ar”

POR SINSP/RN, 11/05/2021

Vitor Mori é físico, pesquisador da Universidade de Vermont, nos EUA, e membro do Observatório Covid-19 BR. O brasileiro criou fama no Twitter graças as suas publicações com dicas práticas de prevenção contra a Covid-19. A ideia surgiu quando o pesquisador visitou o Brasil em setembro e outubro do ano passado:

“Fiquei chocado vendo como os protocolos estavam desatualizados. Havia muito foco no uso de álcool em gel e quase nada sobre as máscaras PFF2 (padrão brasileiro equivalente ao das N95 americanas), obrigatórias no transporte público e no comércio em países da Europa”, conta o físico de 29 anos.

Com mestrado e doutorado em engenharia biomédica pela USP e membro do Observatório Covid-19 BR, ele conta como se tornou divulgador científico, participando de lives e entrevistas sobre o tema.

A primeira dica do físico para combater a disseminação da covid-19 é ter menos foco em desinfecção de superfícies e álcool em gel, e  maior foco na transmissão pelo ar. De acordo com ele o tripé da prevenção é:

– uso de máscara

– ambiente ventilado

– distanciamento físico/evitar aglomeração

“A transmissão do vírus se dá principalmente por gotículas de saliva muito pequenas que são emitidas quando falamos, tossimos, espirramos, etc. Essas gotículas pequenas que ficam em suspensão por um longo período de tempo são chamados de aerossóis e a contaminação se dá quando uma pessoa inspira uma certa quantidade de aerossóis contaminados (ainda não sabemos qual é essa quantidade. Porém há indícios que essa exposição inicial esteja ligada a virulência da doença, ou seja,”, analisa o pesquisador.

Dicas de prevenção

Segundo Vitor Mori, encontros familiares tem enorme potencial de serem eventos de super espalhamento da doença.

“Uma boa sugestão é que todos quarentenem antes da data do encontro. Idealmente essa quarentena seria de 14 dias. No mínimo, ela tem que ser de 5 dias, que é o intervalo médio entre a exposição e o início de sintomas. Quanto mais longa a quarentena mais seguro o encontro”, avaliou o físico brasileiro.

Dicas dentro do ônibus

Para Vitor Mori, dentro do ônibus deve-se sentar ou ficar perto de janelas e mantê-la sempre aberta, garantindo que o ar fresco esteja sempre entrando no ônibus. Para ele também deve-se evitar ficar próximo de pessoas sem máscaras ou que estejam falando alto.

“Lembrando que mesmo se o lugar for mal ventilado e aglomerado, o uso correto de uma máscara PFF2 aprovada pelo Inmetro e certificada pelo MTE garante sua segurança. Então ela é a principal ferramenta de proteção no transporte público”, lembrou o pesquisador.

Clique aqui para ver todas as dicas do pesquisador

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca