Reforma da previdência vai diminuir contribuição de poderes e aumentar de servidores

POR SINSP/RN, 01/08/2020

A reforma da previdência do governo do estado pretende diminuir a contribuição patronal dos poderes, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e Defensoria Pública, e mandar a conta para os mais pobres, os servidores públicos. Se atualmente, aqui no RN, a contribuição patronal para o IPERN é o dobro da realizada pelo servidor, com a proposta da governadora essa diferença vai cair nos próximos anos.

É como se para cada R$ 1,00 de contribuição do servidor, o Estado colocasse R$ 2,00, hoje em dia. A proposta de Fátima Bezerra aumenta a alíquota dos mais pobres para até 16%, enquanto os poderes não serão obrigados a pagar 32%, que seria equivalente ao dobro, caso fosse aprovada a mudança.

Os poderes, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e Defensoria Pública só terão sua contribuição elevada em 0,5% em 2021, 0,5% em 2022 e 1% a cada ano, a partir de 2023, até o valor atingir o máximo de 28%, em 2027.

Quem tem mais vai sofrer menos com as novas alíquotas, e quem tem bem menos será obrigado a se sacrificar para manutenção fiscal do Estado. Por que o governo quer tomar de quem menos tem? Preferem tirar dinheiro das mesmas pessoas que a ajudaram a se eleger em 2018. É um grande golpe nas costas dos servidores públicos.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca