RIO GRANDE SEM NORTE

Por Rodirgo Bico*

O Governador está desnorteado, não sabe o que fazer… Não tem plano e nem planejamento, corre pra um lado e para o outro e tropeça na próprias palavras.

Iniciou uma gestão falando em corpo técnico, mas operou no segundo escalão do governo um verdadeiro desmonte da máquina estatal.

Fui testemunha viva desse processo e senti na pele a falácia do Governador Robinson. Nunca se reuniu comigo e mal fazia isso com outros secretários. Só éramos convidados a sentar com ele em casos de emergência. E assim seguiu-se sua gestão.

Assim que percebi que não teria jeito, e que seu DNA de Coronel e Golpista falava mais alto do que o seu discurso de quando eleito, coloquei meu cargo a disposição.

O que acontece hoje é fruto do seu desnorteamento. Diz que o estado tá quebrado, mas entregou diversos cargos estratégicos e importantes para tocar uma política estruturante a Colunistas Sociais, jornalistas e blogueiros da mídia conservadora, dentre inúmeros "Cabos" eleitorais sem nenhuma aptidão nem com vontade de trabalhar.

No nosso estado não existe Políticas integradas, não existe transversalidade.

Insistem em achar que o problema da Segurança Pública é colocar mais polícia na rua. Erro primário de alguém que ficou com a cabeça na ditadura militar.

As políticas de Cultura são tidas como secundárias, a educação está sucateada e se insiste também em deixá-la como política pública isolada.

É hora de fazermos um estado e cidades onde postos policiais sejam bibliotecas, onde a polícia desmilitarizada atue nas comunidades educando e formando a juventude por meio da arte.

Mais enfrentamento direto só gerará mais violência, amedrontará ainda mais a população.
para mim
   ???O que acontece hoje é fruto do seu desnorteamento. Diz que o estado tá quebrado, mas entregou diversos cargos estratégicos e importantes para tocar uma política estruturante a Colunistas Sociais, jornalistas e blogueiros da mídia conservadora, dentre inúmeros "Cabos" eleitorais sem nenhuma aptidão nem com vontade de trabalhar.

No nosso estado não existe Políticas integradas, não existe transversalidade.

Insistem em achar que o problema da Segurança Pública é colocar mais polícia na rua. Erro primário de alguém que ficou com a cabeça na ditadura militar.

As políticas de Cultura são tidas como secundárias, a educação está sucateada e se insiste também em deixá-la como política pública isolada.

É hora de fazermos um estado e cidades onde postos policiais sejam bibliotecas, onde a polícia desmilitarizada atue nas comunidades educando e formando a juventude por meio da arte.

Mais enfrentamento direto só gerará mais violência, amedrontará ainda mais a população.

Mais Arte e menos bala. Mais Educação e menos presídios.

Rodirgo Bico, Arteducador, produtor cultural

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca