Servidora envia carta para Lula com apelo para que interceda junto à governadora Fátima

Confira!

Companheiro Presidente Lula, inicialmente gostaríamos de saudar o senhor e enfatizar o quanto estamos ansiosos aguardando o seu retorno ao Palácio do Planalto. Escrevo essa carta para contar ao senhor a realidade vivenciada pelos servidores públicos no Estado do Rio Grande do Norte. Atualmente ocupo a presidência do Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Direta, tenho orgulho de estar há 37 anos atuando no serviço público estadual, e de ser filiada ao PT desde 1985.

Presidente, aqui no nosso estado, que o senhor visita nos próximos dias, nós servidores públicos estamos há trinta e dois meses sob esta gestão, a primeira de origem popular. Fato que nos deixou muito felizes e ansiosos após a última eleição. Porém, presidente, após todo esse tempo, nós trabalhadores não conseguimos avançar em nenhum ponto da nossa luta por um serviço público melhor a todos. Como não temos progresso no diálogo com a governadora professora Fátima Bezerra, venho aqui, em nome dos servidores públicos do Estado, explicar ao senhor as dificuldades pelo que passamos.

Estamos há quase 12 anos sem reajuste nos nossos salários. De acordo com o DIEESE, nossas perdas já acumulam cerca de 90% nesse tempo, e o governo não se presta nem a repor esses valores, como a Constituição obriga. Presidente Lula, o senhor bem sabe, nesse tempo aumentou tudo: comida, gás, remédios, energia, tudo está mais caro, mas nossos salários não acompanham a inflação, estão menores.

Estamos mais pobres, presidente. Pior que nesse tempo, apesar dos servidores humildes não terem conquistado nenhum avanço, a classe dos altíssimos salários foi beneficiada mais de uma vez. Para o senhor ter uma ideia, no início desse governo a diferença salarial entre os mais carentes e a elite do funcionalismo público do Estado era de 31 vezes. Depois de três anos essa diferença subiu para mais de 36 vezes. Isso quer dizer que enquanto os mais ricos ficaram ainda mais ricos, os mais necessitados seguem na luta, e ainda mais pobres.

Para dar um exemplo, presidente. Nos primeiros meses da atual gestão, a professora Fátima concedeu aumento de 16,38% para procuradores, auditores fiscais e delegados. Para os mais humildes 0%. Entre outros reajustes, nenhum deles destinados para os que mais precisam, agora em 2021 um novo aumento de 12,3% para os auditores fiscais. De novo, presidente. Inacreditável, não é?

Quando construímos, Presidente Lula, uma pirâmide salarial, constatamos que apenas 3% de todos os servidores recebem 35% da folha salarial e os outros 97% do funcionalismo, reunindo ativos e inativos, ficam com somente 65% dessa mesma folha salarial. É necessário que se inverta a base dessa pirâmide. Não podemos aceitar que o governo estadual só invista para aumentar a desigualdade entre seus funcionários.

Não gostamos nem de lembrar da reforma da previdência, que chamamos de PEC da Morte, pois subiu a alíquota para os baixos salários, diminuiu para os que ganham mais, e ainda trouxe de volta o pagamento aos aposentados e pensionistas. A proposta do governo obrigou a quem já contribuiu a vida toda, a voltar a pagar. Pior até mesmo que a proposta do governo federal, para o senhor ter uma ideia.

Tudo isso somado ao fato de estarmos com quase duas folhas salariais atrasadas. Até hoje o governo não nos pagou nenhum centavo do salário de dezembro de 2018 e ainda faltam milhares de servidores receberem o 13º também de 2018. Esse dinheiro fez muita e ainda faz muita falta na manutenção de nossas vidas. Presidente Lula, não pedimos a professora Fátima nada além dos nossos direitos.

E o senhor nos anos que guiou o nosso País com maestria, sempre soube bem respeitar o direito da população. Por saber disso, enviamos esta carta ao senhor. Pedimos encarecidamente que o senhor nos escute, nos ajude, intermedeie nossa luta com a governadora.

Acreditamos que essa seria uma grande maneira diminuir a desigualdade entre as remunerações dos funcionários públicos, reconhecer e valorizar todos os servidores estaduais. Esses profissionais que se empenharam exemplarmente durante toda a vida pública, inclusive nos atuais momentos difíceis, com a pandemia. Atender esses servidores seria um dos principais marcos de um governo popular e democrático.

Agradeço pelos anos dedicados aos trabalhadores brasileiros, presidente. Esperamos que o senhor possa nos ajudar na nossa jornada por reajuste salarial e melhorias no serviço público do nosso querido estado.

Aqui no Rio Grande do Norte, ficamos na campanha pelo retorno do senhor à presidência. Com carinho, Janeayre Souto.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca