Servidores começam a receber hoje

Republico matéria do jornal Tribuna do Norte, 29/12/2011

Andrielle Mendes – Repórter

Vinte por cento dos servidores municipais de Natal ainda não receberam o pagamento de dezembro. A afirmação foi feita pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat), seis dias após a prefeitura anunciar a antecipação do pagamento. No último dia 22, a prefeitura emitiu uma nota, afirmando que os servidores já estavam com o dinheiro na conta e que a previsão era que todos recebessem até o dia 28 (ontem). O calendário oficial prevê o pagamento até sexta-feira. No caso do governo do estado, o pagamento será iniciado hoje.

“Não podemos dizer que o salário está atrasado, porque o calendário oficial vai até amanhã. Mas podemos dizer que a prefeitura descumpriu sua promessa. Disse que pagaria antes e não pagou”, afirma Soraya Godeiro, presidenta do Sinsenat

Soraya disse ter recebido ontem várias ligações de servidores que ainda não receberam salário. A equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura e foi informada, através da assessoria de imprensa, que o pagamento havia sido realizado na semana passada. A assessoria não esclareceu de que pastas foram alocados os recursos. Segundo Soraya, o pagamento do município sofreu atraso nos últimos quatro meses. O sindicato chegou a votar indicativo de greve, mas cancelou a paralisação ‘porque o dinheiro apareceu’. “Não iríamos começar 2012 sem o salário em dia”, afirmou Soraya.

O governo do estado, por sua vez, começa a pagar a folha de pessoal hoje. O dinheiro será pago de acordo com o número da matrícula, como normalmente acontece, e representa uma soma de aproximadamente R$ 254 milhões. Os recursos serão divididos entre 103 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas.

Os recursos, segundo a secretária estadual de administração Suely Pimentel, estão garantidos. “Todos os servidores vão receber”, disse. Ela afirmou que foi necessário fazer um remanejamento interno para cobrir a folha de pagamento, mas também não soube explicar de que pastas foram alocados os recursos. Obery Rodrigues Júnior, secretário estadual de planejamento, afirmou, através da assessoria de comunicação, que era praticamente impossível dizer de onde os recursos tinham saído. A gestão atual, segundo ele, assumiu o estado com déficit orçamentário de cerca de R$300 milhões e teve que remanejar recursos de várias áreas.

DIFICULDADE

Em entrevista concedida à Tribuna do Norte em 24 de dezembro, Jaime Calado, prefeito de São Gonçalo do Amarante e vice-presidente da Federação dos Municípios do RN, afirmou que Municípios potiguares enfrentam dificuldades para pagar os servidores. Em Natal, por exemplo, a administração chegou a remanejar recursos da área de infraestrutura para pagar o 13º salário. Diferente de outros municípios, a cidade registrou incremento na receita. “Estamos ‘estourando’ a folha de pagamento, não porque o prefeito contrata mais gente, mas porque a folha sobe, independente do que o Município faça”, afirmou Jaime. O reajuste de 14,1% no salário mínimo, anunciado esta semana pela presidenta Dilma Roussef, tornou-se uma preocupação a mais para os gestores. “A receita não tem acompanhado os reajustes”, afirmou o vice-presidente da Femurn.

Prefeitos de pequenos municípios no interior do RN disseram que o aumento pode jogar fora os esforços feitos para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Na semana passada, a União Brasileira de Municípios (Ubam) divulgou nota mostrando que dos mais de R$ 1 trilhão arrecadados pelo governo federal, os municípios receberam R$ 87 bilhões de Fundo de Participação, principal fonte de recursos dos pequenos municípios.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca