Servidores da Administração Direta pedem reajuste de 32% e concursos

A pauta foi discutida e aprovada em assembleia realizada ontem em Natal.

Os servidores da Administração Direta do Rio Grande do Norte começaram a campanha pelo reajuste salarial de 2015 nesta semana. O sindicato deve entregar a pauta com suas reivindicações ao Governo e Assembleia Legislativa até a próxima sexta-feira (13), de acordo com a presidente do Sinsp, Janeayre Souto. Entre as demandas está um reajuste salarial de 32,31% e a realização de concursos para repor o quadro.

A pauta foi discutida e aprovada em assembleia realizada ontem (10) em Natal. Além do aumento salarial e de concursos, a pauta também pede a implantação integral do plano de cargos e salários e o vale-cultura. “Essa reposição salarial é o repasse da inflação dos últimos anos”, afirmou Janeayre. O sindicato representa quase 16, 5 mil servidores estaduais. “Os servidores não vão pagar pela crise. Nós vemos um aumento de 100% para o governador, aumento para os secretários, para o judiciário… e o servidor? Ele não pode pagar sozinho pela crise”, argumentou.

A realização dos concursos seria uma pauta emergencial, visto que, segundo cálculos do sindicato, até 87% do quadro atual de servidores poderia estar aposentado em 2018. “Quem está assumindo o governo não está se importando com isso. O Estado não faz concurso, os trabalhadores de extrema importância estão se aposentando e não estão entrando novos para assumir esse trabalho. Desse jeito haverá um colapso na rede pública”, argumentou a presidente.

Para ela, apesar da lei de concursos ter evitado os apadrinhamentos no setor público, a antiga prática continuaria a existir sobre uma nova forma. “Está aumentando cada vez mais a terceirização, que é uma novo jeito de apadrinhamento, assim como os cargos comissionados”, acusou. O sindicato disse que 21% da folha do Estado é voltada para pagar gratificações diversas e também quer dialogar sobre esse ponto.

Janeayre ainda afirmou que houve uma audiência entre o sindicato e o Gabinete Civil, bem como a Secretaria de Planejamento do Estado. Durante a reunião, teria havido uma discordância quantos aos números apresentados pelo governo justificando o limite prudencial. “O governo apresentou em agosto uma receita de corrente líquida de R$ 7,7 bilhões. Agora em janeiro foi divulgado R$ 7,3 bilhões. Então nós questionamos: A receita não aumentou um centavo? Está diminuindo. Estamos andando para trás?”, questionou.

Após o protocolamento da pauta sindical, os servidores vão aguardar um período, ainda não definido, pelo posicionamento do governador Robinson Faria. Também não há data marcada para a próxima assembleia. “Nós queremos um retorno e que o Governo esteja aberto ao diálogo.

Diárias

O Sinsp/RN também informou que está apurando graves denúncias que dizem respeito à contratação de cargos comissionados. “Recebemos a informação que eles estariam sendo contratados com a garantia de que os vencimentos seriam complementados usando diárias. Um secretário estaria prometendo isso”, colocou a presidente. Sobre a suspeita, o Governo, em nota, informou que “não existe contratação de comissionados com complemento por meio de recebimento de diárias, principalmente porque a posição do Governo é de contingenciamento de despesas”.

Fonte: JH, 11/03/2015

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca