Servidores municipais de Natal estão prestes a fazer greve unificada

Da Redação

O indicativo foi aprovado em assembleia no Sinsenat; se a Prefeitura do Natal não apresentar proposta até o dia 28, a greve começa no dia seguinte.

Os servidores públicos do município de Natal estão no limite da paciência com a prefeitura local (PMN) – e, depois de três rodadas de negociações com a PMN sem sucesso, aprovaram nesta quinta, em assembleia no respectivo sindicato, o Sinsenat, indicativo de greve unificada para o dia 29.

“Temos uma greve decretada”, explicou a presidente do Sinsenat, Soraya Godeiro. “Março é o mês da data-base dos servidores (públicos municipais), a lei garante o reajuste. Já tivemos três rodadas (de negociações), e a Prefeitura ainda pediu mais prazo”.

Segundo Soraya, estava marcada uma reunião para a quarta (21) à tarde no Gabinete Civil da PMN – “mas o Gabinete, na pessoa de Heráclito Noé (chefe do Gabinete Civil) argumentou que a Prefeitura ainda não havia ‘fechado’ as contas”, lembrou Soraya. Por conta disso, a PMN repassou aos representantes dos servidores que apresentaria uma proposta na próxima quarta (28).

Para os servidores – representados pelo Sinsenat, mais os sindicatos dos Agentes de Saúde, dos Odontólogos (Soern), dos trabalhadores da área da Saúde (SindSaúde) e a federação dos funcionários – 28 é a data-limite. “Se não for definida uma proposta até a quarta, na quinta (29), às 8h em frente à Prefeitura, começa a greve”, completou Soraya, considerando que o estudo de impacto financeiro a repeito do reajuste poderia ter sido feito com antecedência, se fosse o caso no ano passado mesmo.

Na mesma assembleia foi aprovada a prestação de contas anual do Sinsenat.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca