Trabalho presencial: servidor que não pode ir às escolas só precisa informar gestor por escrito

POR SINSP/RN, 03/03/2021

De acordo com o Comunicado 002/2021 da SEEC, o servidor das escolas que não pode comparecer à jornada de trabalho presencial precisa apenas comprovar por meio formal a sua condição. Entende-se como “formal” informar por escrito aos gestores do local de trabalho.

A letra “G” do Comunicado ainda afirma que os gestores devem orientar os servidores da possibilidade deles informarem formalmente que não podem ir até às escolas. No mesmo parágrafo, a secretaria diz que “na medida do possível” o servidor pode também anexar um laudo médico ou documento comprobatório de suas condições, porém não exige essa medida.

Seria um absurdo exigir que servidores humildes, que ganham apenas um salário mínimo, buscassem laudos médicos que costumam ser caros, e ainda mais no tempo que estamos vivendo, os obrigando a ir até hospitais durante uma pandemia.

Então, o servidor que tenha alguma comorbidade e não possa sair de sua casa até às escolas, deve apenas apresentar sua condição por escrito para os diretores da escola, que não podem cobrar nenhuma comprovação médica de sua saúde.

Saiba mais:

Trabalho presencial está suspenso

Trabalho remoto: após pressão, governo atende solicitação do SINSP

Governo atende solicitação do SINSP e prepara Portaria implatando regime de trabalho remoto para servidores

Teletrabalho: SINSP solicita medida urgente da governadora

Para secretaria de Educação recebimento de documentos é trabalho essencial durante pandemia

Com 94% dos leitos ocupados, secretaria de Educação descumpre governo e recomenda trabalho presencial nas escolas do Estado

Secretário de Educação afirma que não vai cumprir a Portaria e vai recomendar atendimento presencial em escolas

Secretaria define elaboração de Plano de Trabalho e aprovação no Conselho Escolar como exigências para trabalho presencial

Diretor da 1ª Direc afirma que vai manter trabalho presencial mesmo após publicação de Portaria

Após contato com o SINSP, diretora de escola de Caicó recua e se compromete a respeitar Portaria

Diretora de Escola em Umarizal obriga funcionários a trabalhar durante pandemia

SINSP visita Escola Aldo Fernandes, comprova que gestores não respeitam decreto do Estado e põe saúde de servidor em risco

Direção do SINSP visita escolas e constata falta de material de proteção para funcionários

Diretores do CEJA Senador Guerra, em Caicó, insistem em convocar servidores mesmo após Portaria do Estado

Mesmo com Portaria, diretora da 15ª Direc está obrigando servidores a atenderem o público

Diretora da Escola Calpúrnia Caldas volta atrás e vai obrigar servidores a trabalhar presencialmente

 Comunicado 02 – Escolas.pdf
 SESAP – PORTARIA CONJUNTA Nº 01-SEAD-SESAP – Teletrabalho.pdf

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca