UMA OPERAÇÃO DE RISCO

Por SINSP/RN

Após tantas reuniões para discutir o pagamento do 13º, já era possível sentir o cheiro do queijo. É certo que neste momento difícil em que vivemos, todos querem receber o 13º salário no fim do ano, como reza a lei. Mas na verdade é uma armadinha para o servidor. O SINSP não  aceitará que o trabalhador assuma toda a responsabilidade por um empréstimo para receber o que é seu por direito.

Na reunião de hoje (8) o Secretário de Administração e Finanças,Cristiano Feitosa, deixou claro que quem contrata o empréstimo é o servidor, e caso o Governo não venha a cumprir com o compromisso, o servidor será cobrado pela dívida.  

pós tantas reuniões para discutir o pagamento do 13º, já era possível sentir o cheiro do queijo. É certo que neste momento difícil em que vivemos, todos querem receber o 13º salário no fim do ano, como reza a lei. Mas na verdade é uma armadinha para o servidor. O SINSP não  aceitará que o trabalhador assuma toda a responsabilidade por um empréstimo para receber o que é seu por direito.


Na reunião de hoje (8) o Secretário de Administração e Finanças,Cristiano Feitosa, deixou claro que quem contrata o empréstimo é o servidor, e caso o Governo não venha a cumprir com o compromisso, o servidor será cobrado pela dívida.  

Durante a reunião as categorias colocaram na mesa as dúvidas quanto à segurança desta operação para os servidores, e grande parte das entidades se posicionaram contra a proposta. O SINSP desempenha um papel de protagonismo ímpar nestas reuniões com o Governo,  afim de obter resultados favoráveis para os servidores. A nossa posição quanto sindicato é, sobretudo, preservar o servidor que já encontra-se fragilizado financeiramente e emocionalmente deste o início do ano. Por isso, não está de acordo com a armadilha apresentada pelo Governo.

Com a negativa dos sindicatos, esperamos que o Governo não continue com esta proposta e efetue o pagamento do 13º, como é direito do trabalhador. Sobre a conclusão da folha de pagamento do mês de novembro, ainda não há previsão. Isto é, estamos de volta ao ponto zero. 

 

Durante a reunião as categorias colocaram na mesa as dúvidas quanto à segurança desta operação para os servidores, e grande parte das entidades se posicionaram contra a proposta. O SINSP desempenha um papel de protagonismo ímpar nestas reuniões com o Governo,  afim de obter resultados favoráveis para os servidores. A nossa posição quanto sindicato é, sobretudo, preservar o servidor que já encontra-se fragilizado financeiramente e emocionalmente deste o início do ano. Por isso, não está de acordo com a armadilha apresentada pelo Governo.

Com a negativa dos sindicatos, esperamos que o Governo não continue com esta proposta e efetue o pagamento do 13º, como é direito do trabalhador. Sobre a conclusão da folha de pagamento do mês de novembro, ainda não há previsão. Isto é, estamos de volta ao ponto zero. 

 

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca