Expulsão em Assú: A volta do coronelismo

Da Redação

A redação do nosso site recebeu um e-mail que traz uma denuncia que jamais pensamos em dar conta de uma denuncia dessas na base do SINTE.

Como sempre fazemos iremos publicar a mesma resguardando os nomes dos autores da denúncia.

Vamos à denúncia:

“Tomo a iniciativa de enviar para esse site essa denuncia estou encaminhando a mesma para outros veículos de comunicação do nosso estado, pois não posso assistir de braços cruzados o que está acontecendo aqui na Coordenação Regional de Assú.

A filiação dos professores da rede municipal da cidade de Assú é oriunda dos tempos da APRN, lá do início dos anos 80. Isso durante o governo de Geraldo Melo. Na verdade Araújo Neto, Luís Carlos da Silva e Gilmar Rodrigues foram os primeiros diretores do núcleo municipal da APRN aqui na cidade do Assú. portanto durante todo esse tempo do final dos anos 80 até o ano de 2011 os professores da rede municipal da cidade de Assú eram filiados e gozavam de todos os direitos de sócios do SINTE.

Nós fomos surpreendidos com a posição da Coordenadora da Regional de Assú, Senhora Inês Almeida que também é diretora da direção estadual do SINTE, diretora da Mulher Trabalhadora e pelo senhor Joildo Lobato, diretor da regional.

Quando Araújo Neto, Luís Carlos da Silva e Gilmar Rodrigues eram coordenadores da regional eles sempre visitavam todas as escolas da rede municipal aqui em Assú, desde o Poré que fica na divisa com a cidade de Carnaubais, até as escolas que ficam na sede de município. A rede municipal era mobilizada intensamente pela regional.

O que está acontecendo é que está existindo interesses que não são mais os interesses da categoria.

Só para dar um exemplo no ano de 2011, realizamos uma greve onde trazíamos na pauta a revisão do PCCR do magistério estadual. Ao invés de pautar a luta, de organizar os professores da rede municipal, os diretores da regional por interesses outros cruzaram os braços, não organizaram a nossa greve.

De presente o marido da coordenadora da Regional de Assú passou a ser secretario municipal da cidade de Assú, o mesmo assume o cargo de Secretario Municipal de Ciências, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente.

Nós não vamos aceitar ser expulso do SINTE. Nós iremos lutar para garantir a filiação ao SINTE, sindicato que ajudamos a construir.
“Agradeço o espaço democrático para realizar essa denuncia.”

Nós queremos aqui colocar esse espaço à disposição de todos vocês.

Agora, não podemos deixar de colocar aqui que a atitude da “expulsão” dos sindicalizados da rede municipal não deixa de ser uma atitude ante democrática para o movimento sindical. Será que essa “expulsão” não atende ao pedido de algum prefeito?

Não entendemos por que se “expulsa” os professores municipais do SINTE na cidade de Assú.

Ao mesmo tempo assistimos na cidade de Florânia a direção do SINTE negociar com o prefeito da cidade a pauta dos professores municipais.

O que nos chama a atenção nesse fato é o prefeito de Florínia gritar aos quatro ventos que não negocia com o sindicato dos servidores municipais, alias que nem recebe o sindicato dos servidores municipais em audiência. Só negocia com o SINTE.

O que nós estamos assistindo na cidade de Assú com a “expulsão” dos professores da rede municipal do SINTE não deixa de ser a volta dos “coronéis”, e isso é um absurdo.

Será que os atuais coronéis aprenderam com os coronéis do passado?

Colocamos o nosso site a disposição de todos os professores da rede municipal de Assú, não vamos aceitar que os professores da rede municipal sejam expulsos. Até por que o estatuto do SINTE deixa claro como ocorre e como deve ocorrer uma desfiliação.

Estamos solidários com os professores da rede municipal de Assú, contem conosco companheiros, estamos juntos nessa luta pela democracia.

Isso é um absurdo! Abaixo os coronéis!

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca