Suspensa a Greve na Educação

A TRUCULÊNCIA DO PREFEITO DE TENENTE LAURENTINO INVIABILIZA NEGOCIAÇÕES COM O MAGISTÉRIO DAQUELE MUNICÍPIO

Segundo Assis Silva, diretor de Relações Sindicais e Interior do SINTE, foi realizada audiência pública proposta pela câmara municipal da cidade de Tenente Laurentino contando com a participação de um bom grupo de professores municipais e do prefeito municipal juntamente com os secretários de educação e administração, estes últimos, apresentaram um proposta que prejudica não somente os professores mas também a educação do município.

Alegando a falta de recursos o prefeito se recusa a melhorar a proposta. Hoje Tenente Laurentino paga o pior piso da região serrana, comparados a Lagoa Nova, Cerro Corá, Bodó, São Vicente e Florania, Tenente Laurentino fica em último lugar.

Os mais prejudicados são exatamente aqueles que se capacitaram pois o salário do nível superior não chega a R$ 810,00 e de especialista fica menor que 850,00 reais. A administração de Tenente Laurentino anda na contramão da história, pois no início da dessa década pagava um dos melhores salários da região e hoje paga um dos piores salários do estado.

Segundo Victo, diretor de Comunicação da regional de Currais Novos o Prefeito de Tenente Lauarentino, Júnior do PSB parece que parou no tempo e vive ainda na retrógada ditadura militar onde sua palavra é uma ordem, não respeita ninguém nem tampouco está aberto para o diálogo transparente, ontem estivemos em reunião na câmara de vereadores onde infelizmente os poucos que faziam oposição ao prefeito não compareceram e mais uma vez o ditador teve sua maioria esmagadora.

Victos relata ainda que os professores lutam pela reformulação do plano de carreira e pela implementação do piso. O senhor Prefeito entendeu e usa como argumento a ADI e os critérios estabelecidos pelo MEC para transformar o piso em teto e os educadores sofrem vendo seus salários indo pelo ralo. Isso é uma vergonha para todos.

O resultado da audiência não foi o esperado para categoria que infelizmente não atingiu o resultado esperado e mais uma vez voltam para suas salas depois de uma greve sob forte pressão psicológica e ameaças de não terem o lugar de onde saíram de volta.

O que os professores municipais de Tenente Laurentino conseguirão foi a incorporação de um abono dado nos salários dos professores que terão um salário inicial de R$ 768,50 para nível médio e uma diferença de 5% para os outros níveis, sem nenhuma vantagem adicional aos seus salários. Em outras palavras o piso virou teto.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca