Analfabetismo

BRASIL QUER ERRADICAR O ANALFABETISMO ATÉ 2010 – PAÍS VAI CUMPRIR ACORDO ASSINADO EM 2000, EM DACAR DIZ MINISTRO
Republico matéria do Jornal do Brasil, 16/04/2010

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou dia 15 que o Brasil deve erradicar o analfabetismo até o fim desta década, ao participar de uma entrevista concedida a emissoras de rádio no programa Bom Dia, Ministro.

Atualmente, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2008 (Pnad/IBGE), a taxa de analfabetismo no no Brasil é de 10% entre a população com mais de 15 anos de idade.

De acordo com o ministro, o país irá cumprir o acordo assinado em 2000 na Conferência Mundial de Educação, em Dacar, que prevê a redução da taxa de analfabetismo em 50% até 2015.

– Isso significa levar a taxa para 6,7% até 2015, o que nos permite prever que até o final da década o analfabetismo estará erradicado no Brasil.

– afirmou Haddad. – Por erradicado nós devemos entender uma taxa de menos de 4% (de analfabetos na população maior de 15 anos), o que a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) considera um indicador aceitável.

Entre 1992 e 2008, a taxa de analfabetismo na população acima de 15 anos de idade caiu de 17,2% para 10%. Nos últimos anos, a redução tem sido um pouco mais lenta: de 2007 para 2008 o percentual passou de 10,1% para 10%. Em 2006, o índice era de 10,4% e em 2005, de 11,1%.

População idosa Haddad ressaltou que uma das dificuldades para combater o problema é que ele atinge principalmente a população idosa que vive em cidades pequenas ou no campo.

– Na população de 15 a 17 anos o analfabetismo já é de 1,7% apenas, já pode ser considerado erradicado. – lembrou o ministro. – Na população de 18 a 24 anos, estamos com um percentual de 2,2% de analfabetos.

Uma pesquisa feita com as turmas do programa Brasil Alfabetizado apontou que 75% dos alunos tinham algum problema de visão. Segundo o ministro, por meio de uma parceria feita com o Ministério da Saúde, vão ser distribuídos óculos de grau, ou então serão oferecidos tratamentos para aqueles estudantes com alguma deficiência visual.

– Você cria a turma, alfabetiza o adulto e depois de um ano ou dois ele regride, porque sem o óculos ele não vai ler e não vai reter o conhecimento que adquiriu – disse Haddad.

Hoje 1,9 milhão de jovens e adultos estão matriculados no programa Brasil Alfabetizado. Desse total, 1,6 milhão frequentam atualmente as salas de aula.

Por erradicado devemos entender uma taxa de menos de 4%, o que a Unesco considera um indicador aceitável Fernando Haddad ministro da Educação.

error: Conteúdo protegido para cópia.
Menu e Busca